30 de ago de 2013

Missa da Graça de São José – Maio de 2013



Missa da Graça de São José – Maio de 2013


Em mais uma edição da Missa da Graça de São José, celebrada em nossa Matriz no último domingo (19) que por coincidência neste mês de maio caiu no mesmo dia em que a Igreja Católica celebra o dia de Pentecostes. A Santa Missa contou com a participação do nosso Pároco Pe. Calmon Malta juntamente com o Diácono Paciência e o Pe. Ivanil.

Assim como nos outros dias 19 dos meses anteriores, a igreja estava repleta de fiéis que desta vez chegaram a ocupar um pequeno espaço da Av. Siqueira Campos. Todos que ali estavam foram convidados a partilhar e participar da Festa do Espírito Santo em que a Igreja convida – nos a confiar no amor do Pai, para assumir o compromisso com o projeto do Próprio Cristo.

Durante o momento de orações, Pe Calmon pede aos fiéis que abram os seus ouvidos para ouvir inteiramente a palavra do Senhor; Olhos para enxergar com clareza os caminhos que o Pai estar disponibilizado para nós; Cabeça para ter a inteligência perfeita e compreender a sua palavra; Coração para que assim todas as amarras possam ser desfeitas e o amor de Deus chegue à ele.

Ao longo da homilia, nosso Pároco vem nos recordar que Deus com seu amor é capaz de fazer coisas inimagináveis e sua palavra deve ser algo permanente em nossas vidas.  E também que neste Pentecostes o Espírito Santo faz presente em nossos corações com objetivo de acender a luz de nossas almas, para que assim possamos ser como velas acessas, levando luz as trevas, uma vez que somos ungidos para viver e partilhar o ensinamento do Pai.

A experiência de Pentecostes traz consigo a mensagem que todos nós formamos um único corpo e bebemos de um único espírito transformador, renovador e confortador. Ainda seguindo a mesma linha de raciocínio, Pe. Calmon aborda a temática da carta escrita por nosso Sumo Pontífice – Papa Francisco – neste dia de grande importância para a Igreja – O Pentecostes – que traz a pergunta direcionada diretamente aos fiéis: “Será que estamos deixando o Espírito Santo de Deus entrar em nossas vidas e renova – las ? Ou Preferimos ficar em nosso mundo isolados ?”
                    
Através da resposta do questionamento feito por nosso Papa, devemos ter a consciência que se faz necessário à perda do medo para que Deus possa fazer em nossas vidas a experiência renovadora e transformadora de Pentecostes. Afinal, A Igreja somos todos nós unidos neste Único Espírito Santo. 

25 de ago de 2013

Missa da Assunção de Nossa Senhora e Consagração dos Acólitos da Paróquia

                      Na noite do último domingo (18) ocorreu em nossa Igreja Matriz à celebração da Assunção de Nossa Senhora e Consagração e Renovação dos Votos dos Acólitos (Coroinhas e Ancilas) da Paróquia de São José do Trapiche. A Santa Missa foi presidida pelo Pároco Pe. Calmon Malta e contou com a participação do Coral Sagrada Família.

A festividade de Nossa Senhora nos convida a seguir os exemplos de nossos irmãos vocacionados que dão seu sim generoso, assim como fez Maria, ao projeto de Jesus. E lembramos que no rosto de Maria encontramos o porquê dela ser a escolhida (Por sua Coragem em seguir o caminho do Pai). Em sua homilia, Pe. Calmon meditou acerca do Primeiro Capítulo de São Lucas, no qual resalta a fidelidade da Virgem Maria e nos remete ao nosso batismo, onde também somos chamados a seguir os ensinamentos disseminados por Jesus.



Ainda, recorda – nos dos três elementos presente na Virgem Mãe de Deus:

1º. Maria tinha certeza em colocar Deus acima de tudo na sua vida e se manter fiel aos seus planos;
2º. Maria não se prende as correntes da vaidade, mostrando que é serva do Senhor, que não fica parada, mas sim sai e abre o seu coração ao serviço de seu Deus;
3º. Maria é humilde, por reconhecer que sua graça não foi por mérito, mas por vontade de Deus.

No momento das Preces da Assembleia, foi realizada uma oração pela Vida Religiosa Consagrada, uma vez que estamos no mês das Vocações. E logo em seguida os Acólitos da Paróquia realização a Renovação de seus votos e sua Consagração, confirmando a sua fé em Cristo e ao Serviço no Altar.




“A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador – Lucas 1, 46 – 47”.